17 de dezembro de 2015

Patac celebra 45 anos com ações em Campina Grande e no Semiárido

Semeando resistência e vida no semiárido! Com esse lema a entidade de assessoria técnica e sócio organizativa Patac festejará nesta sexta-feira, dia 11, seus 45 anos de existência e de trabalho ligados as questões sociais, urbanas e camponesas. O encontro com famílias agricultoras, parceiros, colaboradores e amigos acontecerá no Day Camp Hotel Fazenda, que está localizado no sítio Lucas, às margens da PB-138, em Campina Grande.

O evento será iniciado as 8h30 com uma mística e depoimentos de pessoas, representando comunidades e organizações apoiadas pelas ações do Patac ao longo da sua trajetória. Também contará com apresentações musicais, o artista local Bruno Barros e o Trio de Forró da cidade de Caraúbas, lançamento de um cordel comemorativo, de autoria do poeta popular Euzébio Cavalcanti. Ao final da manhã um almoço festivo será servido aos convidados.

A entidade, que também faz parte da Articulação do Semiárido Paraibano (ASA PB) e da Articulação Semiárido Brasileiro (ASA BRASIL), possui uma trajetória que tem contribuído para transformação de milhares de famílias e organizações, apoiadas ao logo desses 45 anos, favorecendo o desenvolvimento sustentável de comunidades, municípios e territórios onde tem atuado.

No início de suas ações, meados dos anos 70, tendo a frente o religioso da Congregação do Santíssimo Redentor (CSsR), Irmão Urbano, o PATAC se dedicou a construção de casas populares para famílias, que naquela época saiam da zona rural em busca de oportunidades na cidade.

Foi o período histórico em que se acentuaram grandes desigualdades e injustiças sociais no país, provocando o grande crescimento das populações urbanas de cidades como Campina Grande. Neste município, apoiou diversas formas de luta em defesa da moradia, a exemplo de Mutirão, Ramadinha, entre outros.

Ainda nesse período a entidade se uniu a Igreja Católica, época de efervescência das Comunidades Eclesiais de Base (CEB’s) e também ao movimento sindical.  Essa união foi fundamental para fortalecer a organização sócio política de comunidades rurais, através da difusão de tecnologias simples que facilitaram a vida das famílias do campo, tais como: curva de nível, composto, banco comunitário de sementes, criação de abelhas, entre outras.

Já nos anos 80, o PATAC apoiou a luta pela Reforma Agrária e pela moradia. Nesse período, destaca-se o apoio às ocupações rurais e urbanas, a exemplo das áreas que resultaram no Assentamento Paus Branco e no bairro das Malvinas, em 1983. Neste último, apoiou a infraestrutura, colaborando com alimentação e água para as famílias que estavam envolvidas na ocupação.

Na década de 90, começa a desenvolver junto com organizações parceiras ações em rede em várias comunidades e munícipios onde também foi protagonista do acesso a água de beber de qualidade no Semiárido paraibano, construindo assim, a primeira cisterna de placas, no município de Soledade no Cariri. Em 1993, em pleno período de estiagem prolongada que atingia o semiárido brasileiro, o PATAC fundou com outras organizações a Articulação do Semiárido Paraibano (ASA Paraíba), rede estadual de famílias agricultoras e organizações que atua na perspectiva da agroecologia e da convivência com o semiárido. Desde então, tem atuado ativamente nessa rede.

Já em 1999, o Patac contribuiu para a criação da Articulação no Semiárido Brasileiro (ASA Brasil), onde vem atuando com projetos e programas que estão ligados as famílias agricultoras em transição agroecológica. Entre estes, estão o Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC), Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2) e o Programa Sementes do Semiárido, todos contam com a parceria do Governo Federal, mas foram criados a partir da iniciativa das famílias e organizações camponesas.

O PATAC atua no Semiárido, concentrando sua ação numa das regiões mais secas da Paraíba, o território do Cariri ocidental, Seridó e Curimataú, contando com a parceria do Coletivo Regional da Agricultura Familiar, que reúne 11 municípios (Cubati, Gurjão, Juazeirinho, Olivedos, Pedra Lavrada, Pocinhos, São Vicente, Santo André, São João do Cariri, Soledade e Tenório), apoiando cerca de 3.000 famílias.


Como parte da valorização do seu trabalho, o PATAC é reconhecido como entidade pública do município de Campina Grande e do Estado da Paraíba.

Nenhum comentário:

Postar um comentário