2 de fevereiro de 2015

Patac celebra seus 45 anos de história


O Patac, entidade de assessoria sócio-organizativa que atua no território do Cariri, Curimatau e Seridó  celebrou no último sábado,  dia 31, no Day Camp Hotel Fazenda, uma assembleia comemorativa aos seus 45 anos de ações no Semiárido local.
Com a presença de vários sócios, funcionários, representantes do território e  da Congregação do Santíssimo Redentor (CSsR), na pessoa de Pe. Cristiano, que  na ocasião representou um dos fundadores do Patac, irmão Urbano (CSsR), os participantes fizeram um resgate histórico passando pelas décadas de 70, 80, 90, 2000 e 2010 até os dias de hoje, onde muitos depoimentos emocionados relataram aspectos de luta, convivência, resistência e solidariedade, construídos junto as famílias agricultoras.

Questão fundiária é um dos grandes gargalos para a construção da resiliência no Semiárido

“A concentração de terra no semiárido brasileiro é um dos grandes bloqueios estruturais para a construção da resiliência da agricultura familiar na região. É preciso democratizar o acesso à terra e reorientar as políticas públicas para a agricultura familiar para que as experiências de convivência com o semiárido se multipliquem, ampliem suas escalas e se consolidem”. Essas ideias foram apresentadas por Paulo Petersen, coordenador executivo da AS-PTA, na mesa de encerramento do Seminário Internacional sobre a Construção da Resiliência em Regiões Semiáridas, ocorrida na última sexta-feira (23/01), na sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa), em Campina Grande-PB. Elas integram a síntese dos debates realizados nos dois primeiros dias do seminário, quando os participantes puderam visitar e debater experiências de construção de resiliência agroecológica nos territórios paraibanos da Borborema e do Cariri e avaliar os resultados preliminares da pesquisa ASA/Insa sobre construção da resiliência agroecológica na região.