24 de novembro de 2010

Reunião de Preparação da Avaliação Anual do Coletivo Regional


Coordenação do Coletivo Regional e Equipe PATAC

A coordenação do Coletivo Regional , juntamente com a equipe do PATAC, encontram-se nesse momento reunidos na sede do PATAC (Rua Capitão João Alves Lira,1114 - Prata) em Campina Grande. A reunião está sendo realizada com o objetivo de planejar a programação do encontro de Avaliação Anual do Coletivo Regional, programado para acontecer nos dias 09, 10 e 11 de dezembro deste ano, no Hotel Fazenda Day Campy.
Além da avaliação das atividades e ações desenvolvidas e realizadas pelo Coletivo Regional desde ano, o grupo pretende ainda desenvolver o plano de ações 2011 do Coletivo, visando inclusive as especificidades da atuação das Comissões Temáticas: Sementes, plantas e frutas; ÁguaCriação Animal.
A previsão é que nesses 03 dias de intensa atividade avaliativa e de planejamento estejam presentes mais de 50 agricultores e agricultores das regiões do Cariri, Seridó e Curimataú paraibano.
Na parte da tarde a equipe pretende discutir sobre a proposta da Agenda e Calendário 2011 do Coletivo, que deverão ser entregues durante a atividade.

16 de novembro de 2010

Capacitação sobre Corte de Carne Caprina em Juazeirinho

O Coletivo Regional do Cariri, Seridó e Curimataú Paraibano realizará uma capacitação sobre corte de carne caprina para agricultores familiares que trabalham com a pecuária caprina e ovina como alternativas diversificadas da agricultura familiar e agroecológica. A atividade acontecerá nos dias 17, 18 e 19 (quarta, quinta e sexta-feira, respectivamente) no Salão do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeirinho.
O objetivo dessa atividade formativa visa agregar valor ao modelo de agricultura desenvolvida naquela região do Coletivo Regional, com ênfase nos mercados agroecológicos a exemplo da Bodega Agroecológica e de programas governamentais, como o PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) e o PNAE (Programa Nacional de Alimentação Escolar).
José Valterlândio Cardoso, técnico educador do PATAC, comenta: “Nesses próximos 03 dias a comissão de criação animal do Coletivo estará realizando este curso sobre cortes especiais de caprinos com os agricultores e agricultoras das regiões do Coletivo. A expectativa é que cerca de vinte integrantes possam participar da atividade. Já há algum tempo vínhamos discutindo e buscando desenvolver uma atividade que atendesse a demanda desses pequenos camponeses produtores. Esta região tem um forte potencial para a criação de caprinos, apesar disso, muitas vezes não os consumidores não encontra a carne de caprino no mercado. Com a criação da Bodega Agroecológica (espaço de comercialização do Coletivo), percebemos a necessidade de desenvolver atividades de formação sobre o beneficiamento deste produto para que possa também ser comercializado nesse espaço”.
Ele ainda afirma que hoje um dos desafios da Comissão Animal se dá com relação à discussão sobre a conservação e qualidade dos produtos de origem animal: “Atualmente a Bodega Agroecológica dispõe de freezers que garantem a qualidade e conservação desse tipo de produto, além disso, estamos desenvolvendo estratégias de planejamento da produção para que eles sejam fornecidos e distribuídos pela Bodega de forma organizada, garantindo assim sua qualidade”.
A Comissão Criação Animal é uma das comissões temáticas do Coletivo e as atividades de formação estão relacionadas à questão da ração animal, melhoria da genética local e o melhor aproveitamento dos produtos, além de outras ações práticas que contribuam com o desenvolvimento e aperfeiçoamento das unidades rurais no processo de geração de trabalho e renda.

Assessoria de Comunicação do PATAC

10 de novembro de 2010

Visita de Intercâmbio Rede Abelha

Cursos, oficinas, palestras, aulas de campo e atividades culturais estão sendo realizadas desde o dia 07 (domingo passado) na III Festa do Mel do município de Água Branca (sertão da Paraíba).

Esse ano a festa faz parte das atividades da campanha "Meu dia pede mel", que está sendo realizada desde o início do ano (19/05) em todo o país. A campanha tem como um de seus pricipais objetivos a divulgação das qualidades nutricionais do mel, enquanto alimento natural e saudável para o ser humano, assim incentivando a popular brasileira ao consumo deste alimento.

Cerca de 20 apicultores do Coletivo Regional, integrantes da Rede Abelha-PB, realizarão um intercâmbio de troca de experiência durante o evento, ao mesmo tempo participarão das atividades da programação da festa neste próximo sábado, dia 13 de Novembro.

Além da oportunidade de conhecerem a festa, os apicultores, juntamente com a coordenação da Rede Abelha, realizarão uma reunião de rearticulação durante o intercâmbio. "A Rede Abelha-PB é uma articulação muito importante para o desenvolvimento da apicultura no estado. Esta reunião é no sentido de retomar as atividades que andavam um pouco adormecidas." conta Valterlândio, representando do PATAC na coordenação da Rede. Atualmente 04 organizações fazem parte da coordenação da Rede Abelha no estado: PATAC, Cáritas, CAASP e Pastoral do Imigrante.

A programação das atividade está prevista para acontecer até este final de semana (14/11). A festa é uma realização da Associação dos Criadores de Abelhas de Água Branca e Região/PB em parceria com Vencer Juntos Paróquia de Água Branca, Prefeitura Municipal, Assessoria Jurídica da Câmara dos Vereadores, STR Água Branca, Banco Nordeste, Comércio Local, Emater-PB e Sebrae na Paraíba.


Patrícia Ribeiro
Comunicadora Popular do PATAC

5 de novembro de 2010

Encontro reúne mulheres de todo o país na Paraíba para discutir sobre Agroecologia e Plantas Medicinais

A Paraíba sediou nesta última semana (26, 27 e 28 de outubro) o “Encontro Nacional Mulheres Agroecologia e Plantas Medicinais”. O evento aconteceu no Hotel Fazenda Day Camp, em Campina Grande, Paraíba. Mais de 100 mulheres agricultoras das diversas partes do Brasil estiveram presentes para discutir, divulgar e trocar experiências sobre o uso de plantas medicinais e práticas agroecológicas, que garantem a saúde e a segurança alimentar de milhares de famílias do campo e da cidade.
No primeiro dia as participantes puderam vivenciar um momento muito especial de mística e sensibilização na abertura do encontro. Logo em seguida, Maria Emilia Pacheco, Diretora da Fase e integrante do GT Mulheres (Grupo de Trabalho Mulheres da Articulação Nacional de Agroecologia), facilitou um debate sobre o modelo de desenvolvimento e suas implicações na vida das mulheres.
Agricultoras de todo o Brasil são guardiãs de um saber cultural secular sobre as formas de cultivar, as qualidades e propriedades de diversas plantas do território brasileiro. O valor medicinal e a função destas plantas para a saúde humana e animal são informações que devem ser reconhecidas, fortalecidas e valorizadas. Apoiar e fortalecer iniciativas desse tipo representa garantir a luta e resistência dessas mulheres sobre os processos de marginalização do saber tradicional e de sua medicina tradicional e natural. Todos sabem do forte interesse da indústria farmacêutica na biodiversidade brasileira, e na substituição dos remédios caseiros tradicionais por remédios sintéticos.
Visita ao arredor de casa de Dona Socorro
 Elizabete da Cruz Marins, participante do Rio de Janeiro, comentou sobre o trabalho que faz no estado com 108 grupos de mulheres que utilizam dos conhecimentos tradicionais das plantas medicinais. Ela conta que esses grupos valorizam as experiências que aprenderam de suas mães, pais e avós e, ao mesmo tempo, assumem o compromisso de transmitir esses saberes para as novas gerações, garantindo assim a soberania alimentar.

O desafio da Rede é esse e aqui neste encontro de mulheres com plantas medicinais está sendo muito legal compartilhar todas essas experiências que tem aí pelo país afora, então está sendo bem interessante no sentido de somar forças, de juntar essas experiências no sentido de que se possa a partir daí conseguir políticas públicas que reconheçam esse trabalho á nível de Brasil”, explica Elizabete.
  
Visitantes conhecendo a Cisterna de placa de D. Socorro

Já no segundo dia do encontro, as mulheres puderam presenciar uma experiência do Coletivo Regional Cariri, Curimataú e Seridó, elas participaram de uma visita à propriedade da família de Dona Socorro (agricultora integrante do Coletivo Regional) na comunidade Lajedo da Timbaúba, município de Soledade/PB. Conheceram o arredor da casa de D. Socorro e trocaram experiências sobre a história da família e as plantas medicinais que ela cultiva. A Agricultora contou sobre tudo o que conquistou através das atividades de formação que participou junto ao Coletivo e com as implementações, como: a cisterna de placa adaptada pra roça, e o biodigestor, adquiridos durante a primeira e segunda fase do projeto Água no Semiárido, financiado pela Petrobrás.
As participantes retornaram ao local do evento no fim do dia e participaram de mais uma atividade da programação: a “Feira de Saberes e Sabores”. Nela, as representantes de diversas regiões do Brasil presentes, apresentaram seus produtos regionais e agroecológicos e também puderam partilhar mais uma vez suas experiências e conhecimentos.

Feira de Saberes e Sabores

Maria Luiza Andrade Ferreira, da cidade de Aparecida, sertão paraibano, falou sobre seu papel no encontro, garantindo a representatividade do Sertão que também faz parte desse grupo que utiliza de forma correta as plantas medicinais e faz questão de divulgar seu potencial e eficiência: “Com certeza o Sertão não podia ficar de fora. A gente tem um trabalho feito por mulheres, também com os jovens e não podia deixar de participar de um evento de uma grandiosidade que está sendo esse”, relata, explicando que faz parte do grupo de beneficiamento de alimentos no Assentamento Angélica. Ela ainda ressaltou a importância da produção agroecológica que é utilizada no próprio assentamento e vendida no mercado local, além do fornecimento para programas governamentais, como: PAA (Programa de Aquisição de Alimentos) da Conab e o PNAE, Programa Nacional de Alimentação Escolar.

O encontro terminou com o sentimento do dever cumprido, as participantes e organizadoras estavam otimistas com o resultado e acreditam que há boas perspectivas para um próximo encontro onde poderão dar continuidade aos laços e compromissos reafirmados nesses três dias de muito trabalho e dedicação.
Na opinião de Maria Cristina Sousa Farias (Rio de Janeiro), o objetivo do encontro foi alcançado: mostrar o potencial das plantas medicinais e o papel exercido pelas mulheres na agricultura. Isso vem garantindo, pouco a pouco, que o resgate e a socialização dos conhecimentos e valores agroecológicos, junto ao cultivo das plantas medicinais sejam espalhado pelo Brasil e pelo mundo.    

3 de novembro de 2010

Aniversário da Solidariedade no Interior da Paraíba

Neste último sábado (16 de outubro), dia em que é comemorado pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) o dia Mundial da Alimentação, a comunidade de Caiçarinha, região de Pedra Lavrada/PB, juntamente com o Coletivo Regional, Patac e Heifer, celebraram o 3º aniversário do Fundo Rotativo Solidário de Animais.

O evento, realizado na sede da Associação Comunitária da Comunidade de Caiçarinha, Assentamento Belo Monte, contou com a presença de cerca de 40 pessoas. As lideranças fundadoras do assentamento deram seus depoimentos de forma emocionante, relembrando os momentos difíceis que passaram no começo, quando chegaram a terra. Dona Maria do Carmo, uma das principais lideranças fundadoras da comunidade, relembrou, alguns momentos desse período: “Quando agente chegou aqui, teve dias de agente passar o dia de fome, porque não tinha água pra cozinhar e nem tinha dinheiro pra construir uma cisterna”.

Semana de oficinas e encontros sobre o caráter produtivo do P1+2

De 28 de setembro a 1º de outubro, mais de 100 famílias Curimataú e Seridó paraibano, participarão de oficinas e encontros municipais e comunitários sobre o caráter produtivo do Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), implementados pelo PATAC e COLETIVO.

O objetivo principal dos encontros é contribuir na formação dos agricultores e agricultoras no sentido de garantir a sustentabilidade das ações produtivas, assim como divulgar os resultados do P1+2 para as demais famílias das comunidades.

Nesses encontros também serão entregues os insumos (sementes e mudas) e a infraestrutura (telas, mangueiras, regadores, lonas, tijolos, canos – material para confecção dos canteiros econômicos) do caráter produtivo assim como serão assinados os recibos de recebimento. Já as oficinas terão a finalidade de capacitar pedreiros sobre um novo modelo de canteiros econômicos em água.





Agenda:
Dia 28 (terça-feira):
- 01 encontro de formação e divulgação na comunidade Quati, no município de Pedra Lavrada.

Dia 29 e 30 (quarta e quinta-feira):- 01 oficina sobre canteiros econômicos em água nos municípios de São Vicente do Seridó e Juazeirinho.

Dia 30 (quinta-feira):- 03 encontros comunitários de formação e divulgação dos resultados do P1+2 nas comunidades de Mendonça, Sussuarana e Pedra D’água, no município de Juazeirinho.

Dia 01/10 (sexta-feira):- 01 encontro de formação e divulgação do P1+2 na comunidade Canoa de Dentro, no município de Pedra Lavrada.

- 01 encontro de formação e divulgação, no município de Alcantil, com a participação de famílias agricultoras de 04 comunidades.

- Oficina na Comunidade Recanto (Alcantil) com as famílias do Cariri e Agreste. A oficina tem a organização do Fórum de Lideranças do Agreste (Folia).