8 de abril de 2016

Análise de Conjuntura com Professor Jonas Duarte reúne agricultores do Semiárido Paraibano


“Tudo vem da terra. Qual a função do agricultor? Cultivar a terra. Eles são a alma do planeta”. Foi com esse discurso que o professor Jonas Duarte, do Departamento de História da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), iniciou sua fala, durante o encontro para análise de conjuntura política do Coletivo Regional, ocorrido nesta quarta-feira (06), na câmara municipal da cidade de Soledade, no cariri Paraibano.

Na sua fala, o Prof. Jonas afirmou sobre a desinformação fomentada pela academia sobre as tecnologias do campo que na grande maioria das vezes a universidade e os financiadores bancários, orientam ações equivocadas para os pequenos camponeses, em função exclusivamente do lucro, e em benefício dos interesses do agronegócio. 

Durante cerca de 2 horas cerca de 50 pessoas participaram de uma análise sobre a situação política atual do Brasil. Através de um resgate resumido da história do país, desde a sua colonização, os participantes puderam perceber resquícios de uma história de exploração do trabalho escravo e dos recursos naturais do território brasileiro, que continua se mantendo e se reproduzindo através de diversas roupagens, até os dias de hoje. Favorecendo exclusivamente o desenvolvimento do sistema capitalista nos países da Europa e da América do Norte. 

Com isso, Jonas afirma que o Brasil é um pais que se estruturou através de uma sociedade de super exploração da força de trabalho. Todas as movimentações que aconteceram, durante esse tempo, com o objetivo de mudar essa realidade, foram abortadas, a exemplo de 1964 a 1975, período da ditadura militar no país. 

Nesse diálogo o Prof. Jonas explicou de forma simples e didática o que significa o termo tão falado nos noticiários da mídia nesses últimos tempos, a chamada “Pedalada fiscal”, e por qual motivo isso não justifica a solicitação de impeachment da presidente Dilma. 

Essa não é a primeira vez que um governo pensa e agi a favor da classe trabalhadora. Durante o governo de Getúlio Vargas, algumas ações, que não eram socialistas, mas traziam alguns benefícios aos trabalhadores e favoreciam o desenvolvimento do sistema capitalista interno, foi rejeitado pelo capital estrangeiro (que domina até hoje o país), e assim foi retirado (a força) do governo. 

Os participantes interagiram com o debate demonstrando indignação com a atuação situação do país e criticando a forma como a mídia tem manipulado a opinião das pessoas sobre esse debate. 

“Nossa luta é tanto fora, quanto dentro de casa. Nossos familiares muitas vezes não têm compreensão sobre esse debate e isso gera dificuldade de dialogar. Precisamos dialogar e ter compreensão do que está acontecendo, ter elementos para fazer esse debate. Temos que ter o olhar crítico e perceber que os jornalistas estão defendendo os interesses de quem está financiando as empresa onde eles trabalham”, afirmou Alidiane, jovem agricultora da região do Cariri.

Como no período que antecedeu o golpe de 64, existe uma forte atuação da mídia burguesa no sentido de ter o apoio do povo nas manobras golpistas que estão sendo efetivadas. Toda essa movimentação pelo Golpe é um atentado a democracia. Por isso a necessidade de informar a população em geral o que realmente está acontecendo na política do país atualmente.

No período da tarde os participantes assistiram ao vídeo Levante sua Voz e ainda participaram de outro momento de discussão sobre o papel das oligarquias midiáticas e ações que obstruem direitos fundamentais presentes em nossa constituição desde a colonização desse país.

17 de dezembro de 2015

ASA Paraíba realiza avaliação da VI Festa Estadual das Sementes da Paixão

Integrantes da Coordenação Executiva, da Rede de Sementes e do GT de Comunicação da Articulação do Semiárido Paraibano (ASA Paraíba) se reuniram, no último  dia 1º de dezembro, para fazer uma avaliação do processo da VI Festa Estadual das Sementes da Paixão, realizada de 14 a 16 de outubro de 2015, nas cidades de Arara e Campina Grande.

Na rodada de avaliações, todos os participantes ressaltaram o sucesso da realização do evento, destacando pontos como a escolha acertada do local da festa, o Santuário Santa Fé de Padre Ibiapina, considerado um lugar místico e simbólico; o envolvimento de outros atores para além das organizações da ASA, a exemplo das equipes de Assistência Técnica e Extensão Rural nos territórios; a estratégia de comunicação; a escolha dos temas das oficinas e do tema da festa sobre o tema dos transgênicos e agrotóxicos que dialogou com as mesas temáticas, com as atividades de preparação e com os atos públicos de denúncia realizados no último dia de programação.

Patac celebra 45 anos com ações em Campina Grande e no Semiárido

Semeando resistência e vida no semiárido! Com esse lema a entidade de assessoria técnica e sócio organizativa Patac festejará nesta sexta-feira, dia 11, seus 45 anos de existência e de trabalho ligados as questões sociais, urbanas e camponesas. O encontro com famílias agricultoras, parceiros, colaboradores e amigos acontecerá no Day Camp Hotel Fazenda, que está localizado no sítio Lucas, às margens da PB-138, em Campina Grande.

O evento será iniciado as 8h30 com uma mística e depoimentos de pessoas, representando comunidades e organizações apoiadas pelas ações do Patac ao longo da sua trajetória. Também contará com apresentações musicais, o artista local Bruno Barros e o Trio de Forró da cidade de Caraúbas, lançamento de um cordel comemorativo, de autoria do poeta popular Euzébio Cavalcanti. Ao final da manhã um almoço festivo será servido aos convidados.